Escola CEC

Reativando a educação na zona rural do Brasil

Antes era apenas mais um morro aos redores de Poço Fundo, em breve será o local da mais nova escola.

Alex Donizete do Rosário já a visualiza.

"Antes, tudo que tínhamos eram projetos." diz o gerente de processos da Café Bom Dia assim que viu o terreno com o engenheiro responsável pela construção. "Agora, podemos vê-la surgir bem na nossa frente."

A escola denominada Centro Educacional Cooperar (CEC) está sendo construída com o apoio da Café Bom Dia. Ela substituirá a antiga instalação com prédios amarelos que os professores da cooperativa local alugam desde 2005.

"Não é algo recente," disse a diretora da CEC Maria Aparecida Avelino. "A escola atual é pequena, velha e alugada. O novo local será moderno e seis vezes maior do que o tamanho atual."

"As salas aqui são muito pequenas e a estrutura é precária," disse Maria Aparecida numa manhã durante um intervalo. "Precisamos de projetores, uma sala de vídeo/TV e uma biblioteca. Também seria ideal um laboratório, além disso, precisamos de brinquedos para as crianças e uma área recreativa."

"Não temos um lugar para atividades físicas. As crianças precisam atravessar a estrada para ir ao estádio municipal, que é emprestado."

O CEC é um projeto educacional da cooperativa iniciado em 2004 por 33 professores onde cada um contribuiu com 100 reais para se associar. Sua inauguração foi em Janeiro de 2005 atendendo 150 crianças e rapidamente ganhou sua reputação pelo alto padrão de qualidade no ensino.

Atualmente a escola conta com 190 crianças e adolescentes. Uma em cada cinco crianças tem pais na cooperativa Coopfam, uma das maiores cooperativas Fair Trade da região, com 250 famílias.

Estas crianças pagam um quarto do valor da mensalidade normal, graças a um desconto especial.

Quando a nova escola abrir, o número de estudantes irá duplicar e a Diretora Maria Aparecida espera aumentar o percentual de crianças associadas a Coopfam. Ela está confiante de que isto ocorrerá graças à participação ativa da Café Bom Dia neste projeto.

"Assim que viram a escola, nossa filosofia, o modo em que valorizamos o meio ambiente, a terra e as pessoas que nela trabalham, eles se prontificaram a nos ajudar. Isto está acontecendo por causa da Café Bom Dia. Eles vêm aqui e nos ajudam, estão aqui por nós e nos mostram o que pode ser feito. O projeto não existiria sem eles."

Ela não é a única que está entusiasmada quanto ao futuro. A escola é uma instituição privada, mas até mesmo o prefeito da cidade contribuiu com a grama para os jardins e máquinas para ajudar o projeto a se desenvolver.

"A escola não terá apenas instalações como ginásio poliesportivo e teatro que poderá ser usado por toda a comunidade, mas ajudará também a elevar a educação de todas as instituições," disse o Prefeito Carlos Alberto Fagundes Gouvea.

"Será uma referência e mesmo sendo uma escola privada, será um modelo para outras escolas. Isto será ótimo para a cidade."

Talvez o mais importante de tudo, será aumentar a autoconfiança e a auto-estima dos pais, professores e alunos.

"Estou muito entusiasmada , às vezes mal posso acreditar," disse Avelino. "Nunca imaginei que algo assim fosse acontecer comigo. O trabalho de professores em cidades pequenas não é valorizado; não acreditávamos que algum dia teríamos uma oportunidade como esta. Isto, nos dá esperança."